Desenvolvimento e igualdade de gênero: avanços e desafios no enfrentamento da violência contra a mulher

Autores

  • Patrícia Krieger Grossi Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS - FAculdade de Serviço Social
  • Jaqueline Goulart Vincensi Grupo de Estudos e Pesquisa em Violência - NEPEVI/PUCRS
  • Sônia Maria A. F Almeida Universidade do Vale dos Sinos - UNISINOS - Faculdade de Serviço Social.
  • Jaina Raqueli Pedersen Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA - Faculdade de Serviço Social

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2012v12n23p153-169

Resumo

Este artigo tem por objetivo destacar a importância de políticas públicas de enfrentamento á violência contra a mulher e da Lei Maria da Penha a partir do olhar dos gestores das políticas de assistência social, coordenadores das Políticas de Mulheres e profissionais que atuam em Centros de Referência de Mulheres, Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) e mulheres em atendimento em municípios do Estado do Rio Grande do Sul. As entrevistas com os profissionais e gestores foram gravadas bem como o grupo focal com as mulheres, transcritas e posteriormente submetidas à análise de conteúdo de Bardin. Os dados apontam para a existência de uma rede de proteção que necessita ser ampliada e articulada intersetorialmente com outras políticas para atendimento das necessidades das mulheres, além de maior conhecimento da Lei Maria da Penha como instrumento de garantia de direitos das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Goulart Vincensi, Grupo de Estudos e Pesquisa em Violência - NEPEVI/PUCRS

Assistente Social. Mestre em Serviço Social. Pesquisadora colaboradora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Violência - NEPEVI/PUCRS.

Referências

BRASIL. LEI MARIA DA PENHA. Lei n. 11.340/06, de 7 de agosto de 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/Ato2004-2006/2006/Lei/L11340. htm. Acesso em: 2 jul. 2008.

BRASIL. Secretaria de Políticas das Mulheres. Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Brasília: DF, 2005.
BRASIL. II Plano Nacional de Políticas para Mulheres, 2010.
FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO. Violência contra a Mulher na Esfera Pública e Privada. Relatório de Pesquisa, 2010.
IPEA. Políticas sociais − acompanhamento e análise http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/publicacoes/bpsociais/bps_14/igualdadegenero.pdf 14 fev. 2007.
LÜCK, H. Pedagogia Interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológicos 10 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.92 p.

OBSERVATÓRIO LEI MARIA DA PENHA. OBSERVE. PROJETO: CONSTRUÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DO OBSERVATÓRIO DA LEI 11.340/2006 – LEI MARIA DA PENHA, POA, RS, 2009.

______. Identificando entraves na articulação dos serviços de atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar em cinco capitais. POA, RS, Relatório Final, 2011.

PINTO, Carla. Empowerment: uma Prática de Serviço Social. In: BARATA, O. (Coord). Política Social. Lisboa: ISCSP, 1988.

PNUD. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento,RELATÓRIO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO 2002. Aprofundar a democracia num mundo fragmentado. http://www.pnud.org.br/hdr/hdr2002/RDH.

RIO GRANDE DO SUL. Plano RS Mulher. POA: RS, 2010.

SAFFIOTI, Heleieth. Violência doméstica ou a lógica do galinheiro. In: KUPSTAS, Marcia (org). Violência em debate. São Paulo, Editora Moderna, 1997.

STREY, Marlene Neves. Violência de Gênero: uma questão complexa e interminável. In: STREY, Marlene Neves; AZAMBUJA, Mariana P. Ruwer; JAEGER, Fernanda Pires (Org.). Violência, gênero e políticas públicas. Porto Alegre: Edipucrs, 2004. p.13-43.

Downloads

Publicado

2012-08-27

Edição

Seção

Seção Temática