SERVIÇO SOCIAL E RELAÇÕES RACIAIS: caminhos para uma sociedade sem classes

Autores

  • Sheila Dias Almeida Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ.

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2015v15n29p311-333

Resumo

Pensando na lacuna existente entre o Serviço Social e a temática étnico-racial, o presente estudo se desenvolve com o objetivo de responder não apenas a inquietudes pessoais, mas, também, contribuir para aproximar a categoria dos assistentes sociais de um debate com indiscutível importância, uma vez que estes trabalham com as múltiplas expressões da questão social, com a elaboração e execução das políticas públicas e sociais resultantes da mobilização e organização da sociedade civil na luta por direitos, livre de opressões e sobretudo, sem classes. O presente artigo é parte do meu projeto de mestrado apresentado à comissão examinadora do Programa de Pós-graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2013. Como se trata de uma pesquisa inicial, a metodologia por ora utilizada consiste apenas em uma revisão bibliográfica, com leitura crítica das obras citadas ao longo da problematização e outras referentes a temas como política pública, social, cidadania, democracia, questão étnico-racial, entre outras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Dias Almeida, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ.

Assistente Social, formada pela Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro ESS/UFRJ. Atualmente é bolsista CAPES e está cursando mestrado em Serviço Social pelo programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFRJ (PPGSS/ESS/UFRJ). Tem experiência em Serviço Social com ênfase nas áreas de Políticas Sociais, relações raciais e de gênero.

Referências

ABEPSS. Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Diretrizes gerais para o curso de Serviço Social. Rio de Janeiro: ABEPSS, 1996.

ANDRÉ, Maria da Consolação. O ser negro: a construção de subjetividades em afro-brasileiros. Brasília, DF: LGE Editora, 2008.

ALMEIDA, Magali, S. Exercício do Serviço Social sem ser discriminado, nem discriminar, por de inserção de classe social, gênero, etnia, religião, nacionalidade, opção sexual, idade e condição física. In: CRESS. Conselho Regional de Serviço Social (Org.). Projeto ético-politico e exercício profissional em Serviço Social: os princípios do código de ética articulados á atuação crítica de assistentes sociais. Rio de Janeiro: CRESS, 2013.

BENTO, Maria Aparecida Silva Branqueamento e branquitude no Brasil. In:

______; CARONE, Iray (Orgs.). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

BOGO, Ademar. Identidade e luta de classes. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular. 2010.

BRANDÃO, André Augusto. Miséria da periferia: desigualdades raciais e pobreza na metrópole do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Pallas, 2004.

BRASIL. Lei n. 8.662, 7 de junho de 1993. Dispõe sobre a profissão do Assistente Social. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 8 jul. 1993. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8662.htm> Acesso em: 30 jun. 2013.

CAVALLEIRO, Eliane. Valores civilizatórios: dimensões históricas para uma educação anti-racista. In: BRASIL. Ministério da Educação. Orientações e ações para a educação das relações étnicorraciais. Brasília, DF: SECAD, 2006.

CERQUEIRA FILHO, Gisálio. A “questão social” no Brasil: crítica do discurso político. São Paulo: Civilização Brasileira, 1982.

COUTINHO, Carlos Nelson. Notas sobre cidadania e modernidade. Praia Vermelha, Rio de Janeiro, v.1, n.1, p. 145-165, 1997.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. São Paulo: EDUSC, 1999.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Tradução de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FERREIRA, Camila Manduca. O negro na gênese do Serviço Social (Brasil, 1936-1947). 2010. 203 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social)- Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Difel, 1972.
______. A integração do negro na sociedade de classes. 3. ed. São Paulo: Ática, 1978.

FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala: introdução à história da sociedade patriarcal no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 2002.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio. Classes, raças e democracia. São Paulo: Editora 34, 2002.

GOMES, Joaquim Barbosa. Ação afirmativa e princípio constitucional de igualdade. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

GOMES, Joceline. Conferência de Durban completa 10 anos. Fundação Cultural Palmares, 2011. Disponível em: < http://www.palmares.gov.br/?p=13958> Acesso em: 10 nov. 2012.

HASENBALG, Carlos. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Belo Horizonte, EdUFMG; Rio de Janeiro: Iuperj, 2005.

HASENBAL, Carlos. Desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

______. O Serviço Social na cena contemporânea. In. CFESS. Conselho Federal de Serviço Social. Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília, DF: CFESS/ ABEPSS, 2009.

IANNI, Octávio. As metamorfoses do escravo: apogeu e crise da escravatura no Brasil meridional. São Paulo: Hucitec, 1988.

______; SILVA, Benedita da; SANTOS, Cevanilda Gomes et al. O negro e o socialismo. São Paulo: Editora: Fundação Perseu Abramo, 2005. (Coleção Socialismo em Discussão).

JACCOUD, Luciana. O combate ao racismo e à desigualdade: o desafio das políticas públicas de promoção da igualdade racial. In: THEODORO, Mário. (Org.). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil 120 anos após a abolição. Brasília, DF: IPEA, 2008.

______. SILVA, Adaiton; ROSA, Waldemir et al. Entre o racismo e a desigualdade: da constituição a promoção de uma política de igualdade racial (1988-2008). In: JACCOUD, Luciana (Org.). A construção de uma política de promoção da igualdade racial: uma análise dos últimos 20 anos. Brasília, DF: IPEA, 2009.

______. Racismo e República: o debate sobre o branqueamento e a discriminação racial no Brasil. Brasília, DF: IPEA, 2008.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultural, 1995. Livro 1. v.1.

______. Manuscritos econômico-filosóficos: e outros textos escolhidos. Tradução de José Carlos Bruni et al. São Paulo: Abril Cultural, 1985.

______. Contribución a la crítica de la filosofía del derecho de Hegel. In:

______; RUGE, Arnold. Los Anales Franco-Alemanes. Barcelona: Ediciones Martinez Roca, 1970.

MENEGAT, Marildo. Sem lenço nem aceno de adeus: formação de massas em tempos de barbárie: como a esquerda social pode enfrentar essa questão? Praia Vermelha, Rio de Janeiro, n. 18, p. 146-177, 2008.

PAULO NETTO, José. Capitalismo monopolista e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2005.

______. Transformações societárias e Serviço Social: Notas para uma análise prospectiva da profissão no Brasil. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 50, p. 87-132, 1997.

PAIXÃO, Marcelo. A dialética do bom aluno: relações raciais e sistema educacional brasileiro. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008.

______; ROSSETTO, Irene; MONTOVANELE, Fabiana et al. Relatório anual das desigualdades raciais no Brasil 2009-2010: Constituição cidadã e seguridade social e seus efeitos sobre a assimetria da cor ou raça. Rio de Janeiro: Garamond Universitária/LAESER, do Instituto de Economia da UFRJ, 2010.

______; CARVALHO, Luiz M. (Orgs). Relatório anual das desigualdades raciais no Brasil 2007-2008. Rio de Janeiro: Garamond Universitária/LAESER, do Instituto de Economia da UFRJ, 2008.

PINTO, Elisabete Aparecida. O Serviço Social e a questão étnico-racial. São Paulo: Terceira Margem, 2003.

ROCHA, Roseli da Fonseca. A questão étnico-racial no processo de formação em Serviço Social. Serviço social & Sociedade, São Paulo, n. 99, p. 540-561, jul./set. 2009.

SANSONE, Lívio. As relações raciais em Casa Grande & Senzala revisitadas á luz do processo de internacionalização e globalização. Rio de Janeiro. Fiocruz/CCBB, 1996.

SEYFERTH, Giralda. Construindo a nação: hierarquias raciais e o papel do racismo na política de imigração e colonização. Rio de Janeiro. Fiocruz/CCBB, 1996.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Gilberto Freyre: adaptação, mestiçagem, trópicos e privacidade em novo mundo nos trópicos. In: LUND, Joshua; McNEE, Malcolm (Ed.). Gilberto Freyre e os estudos latinoamericanos. Pittsburgh: Instituto Internacional de Literatura Iberoamericana, Universidade de Pittsburgh, 2006.

SILVA FILHO, José B. da. A questão do negro no curso de graduação em Serviço social da Universidade Federal Fluminense. 2004. 126 f. Dissertação (Mestrado em Política Social)- Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2004.

SILVA, Nelson do V. HASENBALG, Carlos A. Relações raciais no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Rio Fundo, IUPERJ, 1992.

TELLES, Edward. Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica. Rio de Janeiro: Dumará, 2003.

XAVIER, Solange Procópio. Relações raciais e políticas de ação afirmativa para a população negra no Brasil. 2006. 118 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Social) – Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, 2006.

Downloads

Publicado

2015-07-31