CONSOLIDAÇÃO E ATUALIDADE DO CAPITALISMO DEPENDENTE NO BRASIL: a contribuição de Florestan Fernandes

Autores

  • Davi Perez Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
  • Ricardo Lara Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2015v15n29p39-63

Resumo

A interpretação de Florestan Fernandes sobre a revolução burguesa no Brasil oferece fonte indispensável para os estudos da realidade social brasileira. Este artigo tem como objetivo resgatar a compreensão elaborada pelo autor
a respeito das particularidades da revolução burguesa no Brasil e do capitalismo dependente. Para isso, apresenta-se histórico do processo de desenvolvimento e consolidação do capitalismo no país, seguido de dados e análises para problematizar a situação atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Davi Perez, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Mestre em Serviço Social e professor substituto no DSS – UFSC.

Ricardo Lara, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Professor do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Referências

ALBUQUERQUE, Valdo. No primeiro semestre, mais 127 empresas são desnacionalizadas. Jornal Hora do Povo, São Paulo, Edição 3188, 20 set. 2013. Disponível em: <http://www.horadopovo.com.br/2013/09Set/3188-20-09-2013/P2/pag2b.htm>. Acesso em: 14 jan. 2015.

CARDOSO, Artur Monte. Burguesia brasileira nos anos 2000 - um estudo de grupos industriais brasileiros selecionados. 2014. 326 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Econômicas)- Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP`, 2014.

CARRANO, Pedro. A atualidade de Florestan Fernandes. Brasil de Fato, São Paulo, 21 mar. 2013. Entrevista a José Paulo Netto. Disponível em: <http://www.brasildefato.com.br/node/12398>. Acesso em: 4 jan. 2015.

FERNANDES, Florestan. Sociedade de classes e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968.

______. O que é revolução? São Paulo: Brasiliense, 1981.

_______. Nova República? Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1986.

______. Democracia e desenvolvimento: a transformação da periferia e o capitalismo monopolista da era atual. São Paulo: Hucitec, 1994.

_______. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5. ed. São Paulo: Globo, 2005.

______. Capitalismo dependente e classes sociais na América latina. São Paulo: Global Editora, 2009.

GRAMSCI. Antonio. Cadernos do cárcere. Tradução de Luiz Sérgio Henriques e Carlos Nelson Coutinho 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. v. 1.

LUKÁCS. György. Para uma ontologia do ser social. Tradução de Carlos Nelson Coutinho, Mario Duayer, Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2012.

______. Prolegômenos para uma ontologia do ser social. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: Livro I: o processo de produção do capital. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

______. Prefácio à contribuição à crítica da economia política. In. ______; ENGELS, Friedrich. Obras escolhidas em três tomos. Tradução José Barata-Moura. São Paulo: Edições Sociais 300-303. Originalmente publicado em alemão, 1859.

MÉSZÁROS, István. O século XXI: socialismo ou barbárie. São Paulo: Boitempo, 2003.

______. Ditadura e serviço social: uma análise do serviço social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 2010.

______. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

SAMPAIO JUNIOR, Plínio Soares Arruda. Desenvolvimentismo e neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 672-688, out./dez. 2012.

SANTOS, Igor Felippe. Terras estão mais concentradas e improdutivas no Brasil. Brasil de Fato, São Paulo, 22 jun. 2011. Disponível em:< http://www.brasildefato.com.br/node/6637 >. Acesso em: 16 jan. 2015.

Downloads

Publicado

2015-07-31